Aprendendo a linguagem do amor

Esse texto diz respeito ao universo de significados cristãos.

Texto retirado do resumo do livro. As cinco linguagens do amor. Gary Chapman

Nesta obra, o autor pretende apresentar como é possível expressar um compromisso de amor, demonstrando que as pessoas expressam e recebem manifestações de diferentes maneiras, que ele denomina ‘linguagens do amor’.

 

Aprendendo a linguagem do amor .

As 5 linguagens do amor: Palavras de afirmação e de encorajamento / Qualidade de tempo/  Receber presentes / Formas de servir/ Toque físico.

O estudo sobre as cinco linguagens do amor, tem por objetivo nos conscientizar a respeito da nossa forma de  expressar amor e atenção as pessoas que são caras e próximas a nós e principalmente que compreendamos que é possível transformar momentos de crise em uma possibilidade de crescimento e transformação.

Que tipo de amor e essencial para nossa saúde emocional? A resposta a essa pergunta é : Aquele tipo de amor que dá sentido de pertencimento e significado, que faz com que a pessoa sinta que pertence ao outro e que é querido. O amor está associado a sentimentos que envolvem segurança, autovalorização e singularidade.

Sentir-se amado é a principal necessidade do ser humano, desde criança. Dentro de cada ser humano existe um tanque emocional esperando para ser cheio de amor. Podemos afirmar que este tanque emocional é preenchido adequadamente quando descobrimos qual a nossa primeira e principal linguagem de amor.  Podemos comparar esta primeira linguagem de amor emocional, com o primeiro idioma que nós aprendemos. Qualquer pessoa sente-se mais confortável com o primeiro idioma que aprendeu. Ela pode ao longo da vida adquirir outros idiomas, porém o primeiro é sem duvida o que a faz se comunicar melhor. Com um suprimento adequado de afeição uma criança torna-se um adulto saudável emocionalmente. Estudos demonstram que praticamente toda a conduta sexual irregular nos adolescentes tem sua raiz em um “tanque” do amor emocional vazio. Isso não quer dizer que os pais não dêem amor, mas que, muitas vezes, não compreendem a primeira linguagem do amor de seus filhos; sendo assim este indivíduo quando adulto terá a tendência de preencher seu “tanque” de amor de maneira inadequada. Muitos adultos lutam contra sua autoestima e não se sentem amados ao longo da vida quando sua primeira linguagem é violada de forma destrutiva.
O psicólogo Gary Chapman (especialista em terapia conjugal )classifica o amor em 5 linguagens diferentes e afirma que o conflito nos relacionamentos instala-se pela dificuldade que os casais têm em perceber qual a linguagem primordial do cônjuge.

Devemos estar dispostos a aprender a 1º linguagem de amor dos nossos cônjuges para comunicar o amor de forma efetiva e para mantermos vivo o amor após o casamento, pois as pessoas expressam e buscam o amor de formas diferentes, com necessidades emocionais muito particulares.

A primeira linguagem fala da importância das “palavras de afirmação” e de “encorajamento”. Segundo o autor, elogios verbais e palavras de apreciação são poderosos comunicadores do amor. ”Se desejamos desenvolver um relacionamento precisamos saber quais são os desejos da pessoa amada. Se queremos amar um ao outro, precisamos saber como fazê-lo.” Palavras amáveis e bondosas são extremamente importantes e a humildade na comunicação é fundamental, pois o amor faz solicitações e não imposições. Num casamento onde esta é a primeira linguagem de amor, se o cônjuge for uma pessoa extremamente crítica, e  agressiva no modo de falar, dificilmente o relacionamento será bom. Não há como desenvolver amor emocional com intimidações.

A segunda linguagem do amor fala da “qualidade de tempo”. Isso implica dedicar sua inteira atenção, sem dividi-la (estar junto, conversar com qualidade e ter atitudes de qualidade). “O aspecto central da qualidade de tempo é estar próximo”. Não quero dizer simples proximidade… Duas pessoas podem estar próximas sem estar juntas.    “O estar junto tem a ver com o focalizar a atenção.” Olhar nos olhos quando o cônjuge estiver falando, não fazer outra coisa enquanto ouve seu cônjuge. Esta atitude comunica que ele(a) recebem sua total atenção.

A terceira linguagem fala em “receber presentes”. Presentes são símbolos visuais do amor. Antes de comprarmos um presente para alguém pensamos naquela pessoa. O objeto em si é um símbolo daquele pensamento não importando o “valor”; o valor do presente não tem a ver com o preço, mas sim, com o amor implícito. O autor dá maior ênfase ao que ele chama de “presente da presença” o melhor presente é o presente de si mesmo.

A quarta linguagem fala de “formas de servir”, ou seja, procurar agradar a pessoa realizando coisas que ela aprecia, expressando o amor através de diversas formas de servir. “Os pedidos direcionam o amor, mas cobranças impedem que ele seja liberado.” Se a sua linguagem de amor for esta, e o seu cônjuge não for uma pessoa prestativa dificilmente você se sentira amado(a). Tente ser compreensivo porque todo comportamento é aprendido.  Geralmente pessoas pouco prestativas, foram crianças que nunca podiam contar com os pais para nada, e desde cedo tiveram que aprender a lidar com tudo sozinha, com certeza ouviram freqüentemente aquela frase “ se vira, porque você não é caju”. Seja paciente com o seu cônjuge e tente conscientizá-lo que servir a alguém não é sinal de fraqueza e nem de ser bobo, e sim uma demonstração de amor pelo próximo. Jesus disse que os que quisessem ser grandes deveriam servir aos outros.

Já a quinta e última linguagem do amor fala do “toque físico.” Muitas pessoas acreditam que aquilo que lhes dá prazer também dá ao outro e isso pode ser uma cilada. Vale a pena checar com o cônjuge se ele aprecia o mesmo tipo de toque físico que você.  O cônjuge que valoriza o toque físico gosta de abraçar, andar de mãos dadas, beijar, receber carinho, deitar no colo, massagens, e ter relações sexuais com maior freqüência, etc. Cônjuges cuja linguagem de amor é o toque físico se importam bastante com odores. Deve-se ter muito cuidado com o hálito e o suor, pois o olfato e o tato são os sentidos mais apurados.

As vezes eu posso acreditar que se eu expressar o meu amor pelo meu cônjuge da maneira como eu gostaria que ele(a) expressasse por mim, já é o suficiente para fazê-lo (a) feliz. Não é bem assim, eu tenho que aprender o que faz meu cônjuge sentir-se amado e feliz.

Para refletir:

Um casal tomava café no dia das suas bodas de ouro. A mulher passou a manteiga na casca do pão e deu para o seu marido, ficando com o miolo. Pensou ela: “Sempre quis comer a melhor parte do pão, mas amo demais meu marido e, por 50 anos, sempre lhe dei o miolo. Mas hoje quis satisfazer o meu desejo.” Para sua imediata surpresa, o rosto do marido abriu-se num sorriso sem fim e ele lhe disse: “Muito obrigado por este presente, meu amor. Durante 50 anos, sempre quis comer a casca do pão, mas como você sempre gostou tanto dela, eu jamais ousei pedir!” Assim é a vida… Muitas vezes nosso julgamento sobre a felicidade alheia pode ser responsável pela nossa infelicidade…

Diálogo, franqueza, com delicadeza sempre, são os melhores remédios.

Para refletir:

PARÁBOLA DA DRACMA PERDIDA  Lc 15:8

Dracma- Algo precioso .

Mulher que perdeu algo dentro da sua casa.

Se perdeu algo dentro da sua casa é na sua casa que vai encontrar

A mulher não se conformou com aquela situação.

3 atitudes da mulher – que exigiram esforço da mulher:

  1. Acendeu a candeia ( luz – Palavra de Deus)-  A luz revela o que está encoberto pelas trevas e faz com que a gente enxergue melhor.
  2. Varreu a casa – Tira (Remove) os empecilhos que estão atrapalhando a vida de vocês: vícios, comportamentos inadequados, falta de cuidado, mentira.
  3. Para encontrar algo perdido temos muitas vezes que ser humildes. Exemplo do arroz quando mais alto mais se dobra. Reconhecer que também errou, falhou e precisa mudar.

A mulher não descansou enquanto não encontrou o que perdeu. Ela procurou diligentemente = cuidado ativo, zelo.

Tenha cuidado – ativo ( Zelo – que age) com o seu casamento.

Para encontrarem o que se perdeu é necessário vontade, humildade, disposição e principalmente fé e confiança em Deus. Quando encontrarem façam festa! Não tenha medo de mostrar para o mundo que seu lar é LUZ!

Aqui estão alguns passos simples e práticos para melhorar seu relacionamento conjugal e manifestar adequadamente sua linguagem de amor, com carinho, respeito, e cuidado.

1.Jamais lance no rosto do seu cônjuge um ou mais erros do passado. É falta de sabedoria insistir em trazer para o presente os erros do passado.

2. Nunca esqueça das horas felizes de quando começaram a se amar.

3. Nunca use “indiretas”, quer sozinho, ou na presença de outros.

4. Nunca grite com seu cônjuge. Quando se grita estando perto é porque a inteligência está longe.

  1. Valorize os pontos positivos do seu cônjuge

Lembrem-se :

…”.O amor é paciente, é benigno, o amor não arde em ciúmes….não procura os seus interesses, não se exaspera…tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba”. I CO 13: 4-8

 




Nenhum comentário Quero comentar!


Nenhum comentário.

Deixe um comentário