Diálogos internos e a construção da autoestima – Parte 1

Diálogo interno é a conversa que a pessoa estabelece consigo o tempo todo, através do seu pensamento. O diálogo interno vai determinar o modo como a pessoa interpreta e lida com o que acontece com ela e a sua volta.

Quando a pessoa respeita, considera, aceita, e admira alguém ela toma o máximo de cuidado no modo como se comunica com essa pessoa, pois não quer causar uma má impressão.

Infelizmente por falta de autoestima as pessoas dizem coisas ruins para si mesmas.

Devemos corrigir nosso diálogo interno: As nossas conversas internas são responsáveis pelas nossas emoções.

Diálogo interno: O diálogo interno pode ser: saudável ou disfuncional.

Disfuncional: Trata-se de uma tagarelice interna desnecessária e desgastante, que desencadeia o transtorno psicológico. Exemplos:

1. Inflamador :esses pensamentos me colocam contra os outros.

2. Sabotador :essa conversa me coloca contra eu mesmo.

3. Potencializador: essa conversa interna catastrofiza, aumenta o que acontece.

4. Crítico: acha defeito em tudo, nunca está satisfeito com nada.

5. Ansioso:vive preocupado com o que pode ou não acontecer.

6. Advinho: imagina que sabe o que as outras pessoas pensam.

7. Mártire: carrega o mundo e os problemas dos outros nas costas.

8. Perseguido:  reclama de tudo, apresenta um diálogo interno derrotista, sente-se vitima das pessoas e das situações.

9. Egoísta: pensa só em si mesmo, não consegue colocar-se no lugar do outro.

10. Controlador : gosta de manipular os outros.

Tratamento :Devemos corrigir nossos diálogos internos, substituindo o diálogo interno disfuncional pelo diálogo interno funcional. 

Funcional:  Trata-se do diálogo que eu estabeleço comigo mesmo e que promove internamente estabilidade emocional. Exemplos:

1. Apaziguador: ( me acalma, aproxima as outras pessoas através da paciência, tolerância).

2. Aliado: eu faço o que for necessário para me tirar da depressão, angustia e medo.

3. Realista: Procura enxergar as coisas de uma forma realista sem maximizar e sem minimizar.

4. Otimista: Procura enxergar o lado bom das coisas.

5. Confiante: Vive um dia de cada vez.

6. Humilde: Aprende a admitir que não é dono(a) da verdade e que as vezes erra e se engano em relação as outras pessoas.

7. Assertivo: Assertividade é a habilidade social de fazer afirmação dos próprios direitos e expressar pensamentos, sentimentos e crenças de maneira direta, clara, honesta e apropriada ao contexto, de modo a não violar o direito das outras pessoas.

8. Resgatador e Resiliente: eu me torno a pessoa responsável em resgatar a minha autoestima e me tornar resiliente – A resiliência é a capacidade do indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas – choque, estresse etc. – sem entrar em surto psicológico. Assim entendido, pode-se considerar que a resiliência é uma combinação de fatores que propiciam ao ser humano condições para enfrentar e superar problemas e adversidades. Refere-se à habilidade de se manter sereno diante de uma situação de estresse.

9. Amoroso: aprendo a olhar o outro com compaixão, colocando-me no lugar das pessoas e me conscientizando que todos nós estamos em processo de feitura, estamos nos construindo, não estamos prontos, e que devíamos carregar uma placa: estamos em obras, manuseie com cuidado e proibido jogar lixo.

10. Respeitoso: Aprendo a respeitar os outros e deixo querer ter sempre razão. Desisto de querer que as coisas sejam sempre do meu jeito, e de ser professor 24 hs por dia.
Os nossos diálogos internos denunciam a maneira como nos percebemos e nos tratamos. Nesse sentido considero relevante abordarmos a questão da autoestima.

 




16 Comments Quero comentar!


  • Suas palavras abençoaram muito minha vida. Deus te abençoe!

    Comentado por Valéria França — 19 de agosto de 2013 @ 15:41

  • Suas palavras são curadoras e me lembram que as palavras ainda podem curar. Deus frutifique seu ministério!

    Comentado por Marcela Souza — 29 de abril de 2014 @ 21:52

  • Foram muito esclarecedor este texto me fez entender melhor o comportamento de alguém que está com a autoestima baixa. Obrigada.

    Comentado por Sueli Pinheiro — 17 de julho de 2014 @ 23:49

  • Foi muito esclarecedor este texto me fez entender melhor o comportamento de alguém que está com a autoestima baixa. Obrigada.

    Comentado por Sueli Pinheiro — 17 de julho de 2014 @ 23:54

  • Olá, Dra.Andreia
    Cheguei a postar em meu face sobre estarmos em construção…muitas orientações excelentes.
    Obrigada.

    Comentado por Dine Neves — 3 de agosto de 2014 @ 19:47

  • Otimo!!

    Comentado por LUCI ANGELA FIORILLO — 19 de fevereiro de 2015 @ 13:21

  • Continue sempre escrevendo, Andreia. Estou aprendendo muito com os seus textos. Que Deus continue te abençoando!

    Comentado por Ari — 31 de julho de 2015 @ 01:41

  • Eu estou me identificando com todos os primeiros sintomas disfuncional. 🙁

    Comentado por Ariana debatim — 6 de agosto de 2015 @ 12:31

  • Glória a Deus pela sua vida, que Ele nosso Deus Todo Poderoso derrame sobra sua vida chuvas de bênçãos, e que através da sua vida muitas pessoas possam ver a face de Cristo. Que os anjos te protejam.

    Comentado por Bianca — 10 de agosto de 2015 @ 02:42

  • Amei. Ao ler este texto, fui me conscientizando e a cada item bom , fui conversando comigo e ao final estou com uma paz maravilhosa.

    Obrigado, Jesus te abençoe mais, mais e mais.

    Comentado por Tiago — 6 de setembro de 2015 @ 00:02

  • Ótimo texto! Obrigada por compartilhar. Deus abençoe sua profissão e seu ministério.

    Comentado por Isabela — 15 de julho de 2016 @ 11:21

  • Digitei no google “depressão cristão” e acabei parando aqui. Há tempos tenho andado com uma tristeza sem fim. Esses dias estimei que tenho estado assim por quase três anos, e nos últimos dias se agravou por que acompanado da tristeza,vem choro, falta de ar…E pensamento de suicídio tem sido constantes, diário. Perdi peso e algumas pessoas me perguntaram se eu estava fazendo regime, eu respondo que “os dias estão muito corridos, tô tendo muita coisa pra fazer, é o mestrado”.. A verdade é que a comida não tem sido apetitosa, não tenho vontade de comer nada, nem aquela comida que mais gostava, tanto faz. Nada faz sentido, a vida doi. Não quero estar assim, luto todos os dias, sei que não posso parar. Procuro envolver-me em cursos, ver pessoas, evitar ficar só, porque eu sei que quando estiver sozinha ela vai voltar. Esse texto sobre diálogos internos foi bom para mim, a mesma chance que as coisam tem para dar errado tem para dar certo, eu não sei o futuro. Devo ter cuidado ao alimentar meus pensamentos. Ou melhor, prestar atenção no que deixo ficar dentro da minha mente. Obrigada pelo texto.

    Comentado por Cristina — 3 de agosto de 2016 @ 18:12

  • TEM SIDO DE GRANDE IMPORTÂNCIA PARA MIM,TODAS AS EXPLICAÇÕES DA DOUTORA ANDREIA.AGORA TENHO CERTEZA DE QUE PRECISO FAZER UMA TERAPIA.

    Comentado por CRISTIANE CAVALCANTE — 11 de agosto de 2016 @ 16:16

  • Otimas palavras que Deus lhe abençoe.

    Comentado por Elisane castro — 16 de agosto de 2016 @ 19:56

  • Deus lhe abençoe.

    Comentado por Elisane castro — 16 de agosto de 2016 @ 19:57

  • Muito construtivo. Parabéns pelo teu interesse de ajudar o próximo a levantar sua auto estima e ser mais FELIZ.

    Comentado por Ligia Winkelmann — 16 de abril de 2017 @ 04:16

Deixe um comentário