Transtornos de Ansiedade – Parte I

Transtornos de Ansiedade

Segundo o Dr Leandro Teles, neurologista graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), a ansiedade é um processo físico e mental ATIVADO em situações de medo, receio, diante do desconhecido e em momentos de tensão emocional. Ela pode ser NORMAL ou PATOLÓGICA.

Ansiedade Normal: Trata-se de um sentimento de receio, aflição, com alterações físicas como taquicardia, sudorese, dilatação de pupila, tremores, etc. Os sintomas são autolimitados, direcionados a uma situação peculiar e são proporcionais ao risco envolvido. Todo mundo se sente ansioso em situações como: dia do casamento, tentativa de assalta, montanha russa, entrevista de emprego, apresentação importante, etc. A ansiedade NORMAL ajuda o ser humano, cria um ambiente cognitivo de apreensão salutar e de tomada rápida de decisões.

Ansiedade Patológica: Ela se torna doença quando passa a ser direcionada a situações comuns do dia-a-dia, ou quando é uma resposta absolutamente desproporcional ao risco, ou mesmo quando é mantida cronicamente. Seja como for, a doença é definida quando surge impacto na qualidade de vida do pessoa. Esse tipo de ansiedade limita a percepção e dificulta a tomada de decisões, evoluindo com restrição social e impactando negativamente diversos aspectos da vida da pessoa.
Como podemos perceber o que diferencia a Ansiedade Normal da Doença é a INTENSIDADE, os DESENCADEANTES e o impacto na FUNCIONALIDADE.

Sintomas Físicos Sintomas Psíquicos
– Taquicardia (palpitação) – Angustia (apreensão)
– Falta de Ar – Medo excessivo
– Tremores – Irritabilidade
– Dor no peito – Intolerância
– Fome excessiva – Sensação de estar “a flor da pele”
– Dor de estômago \ diarreia – Dificuldade em desligar (insônia)
– Tensão muscular – Sensação de morte iminente

 TRANSTORNOS DE ANSIEDADE

Os transtornos de ansiedade formam um grupo extenso de disfunções que trazer franco comprometimento da funcionalidade da pessoa. Trata-se de distúrbios comuns (cerca de 10 a 20 % da população), um pouco mais frequentes em adultos jovem com predomínio no sexo feminino e de ocorrência em todas as culturas conhecidas.
A causa é complexa e varia de caso a caso. Existe uma predisposição genética, mas vários fatores ambientais podem determinar ou descompensar os sintomas. O ritmo de vida, os ambientes, o tipo de criação e a presença de traumas pontuais podem culminar na amplificação da ansiedade normal e iniciar a doença propriamente dita.

http://www.leandroteles.com.br/blog/2015/09/04/saiba-mais-sobre-os-transtornos-de-ansiedade/.




Nenhum comentário Quero comentar!


Nenhum comentário.

Deixe um comentário